GOVERNANÇA E SUSTENTABILIDADE

102-5, 102-22, 102-23, 102-24

Governança corporativa

A Central Nacional Unimed é uma cooperativa de segundo grau, ou seja, não tem relação direta com os cooperados. É alicerçada sobre os pilares de sua relação associativa com as 326 cooperativas Unimed que compõem seu quadro de sócias e é administrada por uma diretoria executiva eleita em Assembleia Geral Ordinária com mandato de quatro anos.

As Assembleias constituem o mais alto grau de governança e são coordenadas pela diretoria eleita. O grupo também define e delibera sobre a remuneração dos diretores, as ações estratégicas e a destinação das sobras.

Há ainda dois conselhos que representam as associadas: o Conselho Administrativo, Técnico e Operacional, composto por 18 membros, sendo 17 eleitos em Assembleia Geral dentre o corpo diretivo em exercício ou representantes estatutários das Unimeds associadas, reconhecidas pelo Fórum Unimed, e um membro representante da diretoria da Unimed do Brasil, que orientam e deliberam. E o Conselho Fiscal, que é constituído por três membros efetivos e três suplentes, pessoas físicas, cooperativas associadas à Central Nacional Unimed, eleitas anualmente em Assemblei Geral, que avaliam e fiscalizam as contas da operadora. Estas estruturas são apoiadas por quatro comitês constituídos em 2018: Comitê de Governança, Riscos e Auditoria Interna; Comitê de Precificação; Comitê de Investimentos, e Comitê de Ética e Compliance.

Não existem mecanismos formais definidos em estatuto para avaliar as qualificações desses membros, nem para tratar de diversidade.

A atuação do Sistema Unimed na esfera política ocorre por meio da Unimed do Brasil. A Central Nacional Unimed envolve-se em debates públicos apenas em questões relacionadas à saúde e vinculadas à Agência Nacional de Saúde Suplementar. Também não se manifesta a favor de nenhum partido político e nem contribui para campanhas dessa esfera.

GOVERNANÇA E SUSTENTABILIDADE

102-5, 102-22, 102-23, 102-24

Governança corporativa

A Central Nacional Unimed é uma cooperativa de segundo grau, ou seja, não tem relação direta com os cooperados. É alicerçada sobre os pilares de sua relação associativa com as 326 cooperativas Unimed que compõem seu quadro de sócias e é administrada por uma diretoria executiva eleita em Assembleia Geral Ordinária com mandato de quatro anos.

As Assembleias constituem o mais alto grau de governança e são coordenadas pela diretoria eleita. O grupo também define e delibera sobre a remuneração dos diretores, as ações estratégicas e a destinação das sobras.

Há ainda dois conselhos que representam as associadas: o Conselho Administrativo, Técnico e Operacional, composto por 18 membros, sendo 17 eleitos em Assembleia Geral dentre o corpo diretivo em exercício ou representantes estatutários das Unimeds associadas, reconhecidas pelo Fórum Unimed, e um membro representante da diretoria da Unimed do Brasil, que orientam e deliberam. E o Conselho Fiscal, que é constituído por três membros efetivos e três suplentes, pessoas físicas, cooperativas associadas à Central Nacional Unimed, eleitas anualmente em Assemblei Geral, que avaliam e fiscalizam as contas da operadora. Estas estruturas são apoiadas por quatro comitês constituídos em 2018: Comitê de Governança, Riscos e Auditoria Interna; Comitê de Precificação; Comitê de Investimentos, e Comitê de Ética e Compliance.

Não existem mecanismos formais definidos em estatuto para avaliar as qualificações desses membros, nem para tratar de diversidade.

A atuação do Sistema Unimed na esfera política ocorre por meio da Unimed do Brasil. A Central Nacional Unimed envolve-se em debates públicos apenas em questões relacionadas à saúde e vinculadas à Agência Nacional de Saúde Suplementar. Também não se manifesta a favor de nenhum partido político e nem contribui para campanhas dessa esfera.